«

»

Mijada na cara contra a vontade isso pode, Arnaldo?

Pegou a prostituta novinha e levou para o motel.

Sabe lá que perversidades aprontou com ela.

E no final, com ela sentada no chão, ele anunciou que ela iria levar uma mijada na cara.

Para o desespero da coitadinha.

Ela dizia que não, não queria.

Ele provavelmente dizia, estou pagando, eu faço o que quero.

Talvez tenha sido o argumento definitivo, ela se resignou, humilhada, esperando ser fuzilada com urina quente.

Colocou a mão sobre a boca, engulhando, de antecipado. Tapou o nariz também.

E nessa onda toda, nosso tarado achou a concentração necessária para deixar o mijo fluir.

Mijou no rosto dela. E depois baixou a mira, para regar os peitinhos da moça, que ela também protegeu com as mãos.

Mais do que uma cena de , claramente contra a vontade dela, foi um “estupro líquido”.

E aí nos perguntamos: mijada na cara contra a vontade isso pode, Arnaldo?

Dê sua opinião, comentando o post e participe deste debate.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

Clube Chuva Dourada

O conteúdo que você está prestes a ver foi identificado como direcionado para adultos, não sendo apropriado para todas as faixas etárias. Antes de visualizar tal conteúdo de cunho adulto, você deve confirmar que é maior de 18 anos.